Cinema, Games, Livros, Quadrinhos e RPG!

Quando a promessa de Ridley Scott é demais, desconfie.

Quando a promessa de Ridley Scott é demais, desconfie.

jul 12, 2012

 

Ver Prometheus em minha cidade foi quase impossível. Aqui, em Campo Grande, temos 25 salas de cinema (somando as redes Cinemark, Cinépolis e Cine Campo Grande) e apenas DUAS seções de prometeus por dia, sempre lotadas. Diversas vezes dei com a “cara na porta”, mas por fim, consegui. E tanto esforço não valeu tanto a pena.

Não que o filme não tenha um visual foda pra caramba e conceitos filosóficos interessantes que mereciam um 5 (fodas pra caralho!) mas são tantas escorregadas no roteiro que é difícil acreditar na missão da tribulação da Promotheus.

Vi muita gente questionar o número de perguntas levantadas pelo filme e o pouca quantidade de respostas, mas discordo. Saí do cinema entendendo o filme quase completamente  e achando o mesmo muito, mas muito, raso. Os personagens são fracos e porcamente estereotipados: quem é “fodão” no início, logo será um covarde e mais tarde um zumbi de DeadSpace. Cientistas trapalhões vão aprontar todas sem se preocupar com virus e bactérias alienígenas, e o robô mostrará ter mais personalidade e produndidade que todos os outros atores.

Até a incrível Charlise Theron é sub-aproveitada, enquanto uma atriz parecidíssima com a “Ripley”  é o inconsistente personagem principal desta prequela desnessessária de Alien: O Oitavo Passageiro.

Os questionamentos existenciais propostos pela raça dos engenheiros, uma raça de ciêntistas espaciais que lembram MUITO o Seth, boss do Street Fighter 4 (comparação abaixo) são o tempero que faz o filme valer a pena. Qual o propósito da criação da raça humana? Seriam os homens, criação diretas de uma raça de alienígenas? O que aconteceria se encontrássemos nosso Criador?

Por fim, o filme não se define como drama, aventura, terror ou ficção ciêntifica. É um pouco de cada coisa, sem se aprofundar demais, sem se entregar. Mesmo assim, se você joga RPG, deve assistir. É um excelente exemplo para mestres e jogadores de que, não basta ter uma premissa legal de campanha: se o grupo não estiver em sintonia, não vai dar certo.

 

brueh

Publicitário fã de histórias em quadrinhos, cinema, livros e todo tipo de cultura Nerd. Atua como ilustrador profissional em seu estúdio, Panda Vermelho e, no tempo livre, é editor do QueAbsurdo e da revista 3D&T2, mestra, lê, joga Xbox e planta bananeira!


3 comments

    • Concordo com tudo que você disse na sua review. É uma pena que esse filme tenha sido tão fraco, eu estava bem empolgado om o trailler…

  1. “Oba! Chegamos a um planeta totalmente desconhecido! Vamos fazer reconhecimento do local e avaliar as alterações atmosféricas? NÃO! Vamos sair pra fazer um piquenique!!”

    =P

    Não dou um mês pra eu esquecer toda a história desse filme.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>